domingo, 15 de maio de 2016

Coming back...de novo?

Gente amada que ainda aparece por aqui, deixem-me pedir desculpas pelo sumiço. Minha última postagem foi em agosto do ano passado, depois silêncio...acho que tirei férias do blog, estava enjoada de escrever posts sobre moda, olhem o paradoxo, já que eu vivo disso.
Ou vivia. Ah, Sócrates, continuo sem saber nada, nada.
Eu achava que sabia alguma coisa, agora já duvido disso.
Sem dramatizar, quem me acompanhou aqui sabe que fui fazer um  mestrado em Portugal- que ainda não concluí- e que me consumiu todo o meu tempo (e neurônios que eu nem imaginava ter), numa experiência muito rica e inspiradora. Tive professores incríveis, uns mais do que outros, claro, e alguns que tocaram meu coração. Que me ajudaram. Que acreditaram em mim (nem todos, alguns devem ter se perguntado que diabos eu estava fazendo naquele mestrado, dúvida que eu mesma tive em alguns momentos) - eu descobri: fui realizar um sonho de menina, um sonho que meu pai também sonhou pra mim, ele queria me ver frequentando a Universidade de Coimbra, o que eu teria considerado, obviamente, se tivesse continuado no Direito. Mas eu mudei o rumo da minha vida quando me dei conta que o mundo jurídico me manteria dentro da caixa. E o que eu mais queria era sair dela...Eu tracei outro destino, e queria ser outra pessoa. Sorry, dad, fui a Coimbra e vi a tal biblioteca cheia de preciosidades jurídicas, realmente é imponente e impressionante, mas foi só uma visita, pra relembrar meus tempos de advogada. Essa minha persona ficou lá atrás.
É bom poder admirar pessoas, num mundo em que a gente só se decepciona com elas. Provavelmente tb decepcionei muitas na minha vida, mas que se há de fazer,  c´est la vie...
Minha filha está morando na França, eu bem que gostaria de me mudar pra Portugal- não, o país ainda não tem tradição em moda (o quadrilátero da moda ainda comanda o espetáculo) mas tem se destacado lançando algumas pérolas, como a designer Alexandra Moura, que eu descobri numa das minhas visitas no ano passado. Eu já conhecia a Ana Salazar e o José Antonio Tenente, ícones da moda lusitana, mas a Alexandra realmente chamou minha atenção, com sua vertente autoral.
Alexandra Moura já possui 15 anos de experiência como designer e também é professora de design de moda na Escola Superior de Artes Aplicadas, em Lisboa, além de lutar pelo movimento genderless na moda
Pesquisando maquiagens para um desfile aqui no Brasil, deparei-me com esse make de um dos desfiles dela, em parceria com a Loréal, fui atrás e descobri uma moda atemporal, que não segue tendências e não produz em quantidade, bem dentro do que eu ando buscando e estudando. Aí, vi uma reportagem sobre ela na Revista Elle brasileira deste mês e percebi que nada é por acaso, a Alexandra realmente está bombando e não é de agora, mas eu confesso que não a conhecia até então...Portugal tem seus mistérios e seus tesouros...
Tudo começou por causa desta maquiagem
 
O mood unissex está presente no lookbook do Inverno 2016, e a brincadeira de ser menino ou menina já conquista muitos adeptos:
Gajo ou rapariga? Pra Alexandra, tanto faz...

Querem saber? Eu aprovo. Sou fã de novos movimentos na moda: ageless, genderless, slowfashion...(claro que sobre isso farei um post à parte, em breve)
Tô voltando. Aos poucos, sem ser muuuito assídua. A gente perde os contatos, que pena, fiz muitos amigos por aqui, pessoas que realmente fizeram a diferença na minha vida. Duas delas pude conhecer pessoalmente: Bratz e o Homem de Lata, esses dois têm meu amor e admiração eterna!
Tô voltando e me sentindo a própria Elba Ramalho na Ópera do Malandro. Quem lembra?
Cartas para a Redação.